segunda-feira, 9 de março de 2009

O vodu

Conhecemos palavras os e seus significados mas, verdadeiramente, nunca paramos para pensar a respeito. Este tem sido um dos meus mais interessantes passatempos neste momento e, por menos que eu procure, mais têm aparecido à minha frente, sem pedir licença.

Eu nunca imaginei que aprenderia uma língua eslava. Para quê? Esta é, inclusive, a pergunta que mais me fazem desde que comecei a me aventurar em aprender tcheco. É, claro que a razão inicial tem nome e sobrenome: tchecos, diga-se de passagem. Mas o tempo vai passando e, a cada dia que aprendo mais, mais tenho vontade de um dia poder falar a língua fluentemente. Perfeitamente, bem, não me arriscaria a dizer... Mas se puder falar só um pouquinho de tcheco já estaria de bom tamanho.

É díficil, muito difícil! São mil e uma declinações: vocativo, nominativo, acusativo, e por aí vai. No total onze. Sem falar nas palavras, que têm umas cinco ou seis consoantes seguidas. Zmrzlina, minha preferida para sempre. Significa sorvete (ou gelado). O sobrenome (ou apelido) da minha colega de casa é Tvrdková. Ninguém precisa de vogais, não é? A melodia da língua é diferente também. Parece que as pessoas nunca vão parar de falar e que uma hora elas perderão o fôlego. Mas não perdem. Espero eu também não perder. Isso se dá porque a acentuação das palavras é na primeira sílaba, sempre. O nome do Radek, por exemplo, é acentuado na primeira sílaba e, então, lê-se algo como Rádek. Como no nosso português as palavras em geral são paroxítonas, temos a tendência a ler as palavras com tal acentuação se a marca tônica não estiver graficamente assinalada. O que é o caso. Portanto - e ele já sabe e adora - na nossa terrinha o nome dele mudou. Chama-se Radéki. Com a pronúncia do i no final.

Quando eu comecei a aprender alemão – e como já foi citado aqui anteriormente – a descoberta de palavras latinas era sempre um motivo de comemoração. Quando comecei a aprender o tcheco não foi diferente. Palavras como brokolice, škola, professorka e restaurace foram também um acontecimento. Mas não esperava que seria possível que a descoberta de palavras eslavas pudessem também ser surpreendentes.

Em uma das últimas aulas de tcheco, a professora ensinava o pretérito. Nada muito difícil, por incrível que pareça: a língua possui apenas um pretérito, assim, simples assim. A professora pediu que fizéssemos um exercício, lêssemos o parágrafo e depois traduzíssemos aquilo. O meu foi o seguinte:

Můj dědeček pil vodu.”

- "Meu avô faz vodu". Certo?

Risos

“Meu avô bebeu água” era o significado da frase. Vodu era a forma de uma das declinações da palavra Voda, que em tcheco significa Água. É uma palavra de origem eslava; também no Russo água é Voda. No russo há também uma outra palavra parecida com essa, que acredito que todos conhecemos. Vodka, lembram-se? A água que passarinho não bebe? Pois é. Vodka é o diminutivo de Voda e “aguinha” para os eslavos significa água ardente.

As palavras e suas origens aparecem à minha frente, assim, como se fossem vodu.

3 comentários:

  1. Ah....Mas Radéki é tão mais bonitinho!! Rádek parece que a gente tá xingando ele....olha o acento aparecendo aí de novo no nome, como se precisasse....
    Em tempo: "avô, vodu, voda, vodka", hahahahahahahaha!!! Conicidências não existem né Kell?
    Beeeeeeeeeeeeijos!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Estou adorando essa mistureba toda de línguas e pronúncias e costumes. Tenho aprendido mais aqui do que nos anos todos de escola. É diferente ver uma pessoa minha, do outro lado do mundo, vivendo um dia a dia que é de outro ser, quase E.T., e aprendendo mais e ensinando tbém. Continue estudando muito e trazendo todas as curiosidades e preciosidades da língua tcheca prá gente.....beijo, com saudades. CAROL

    ResponderExcluir
  3. Quel, quanto tempo!

    acho esse é o problema quando estamos aprendendo um idioma, ´deduzimos` muito e no fim das contas nao significa nada daquilo que imaginávamos.

    Engraçado sempre li o nome do seu namorado como realmente se pronuncia, nunca com acento tônico paroxítona.

    Ahh os nomes, eles mudam tanto de um idioma para outro.

    Dia desses sua amiga Carol apareceu no cafofo por sua indicação (decerto na coluna aqui do lado), adorei a visita, assim como sempre gosto da sua.

    Bjocas moler, nao some nao uai :=)

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.