domingo, 31 de maio de 2009

O calor


Inspirada no blog da Cris, o Cafofo, resolvi fazer uma homenagem à falta de assunto que anda me assombrando ultimamente. Ela diz que quando não temos assunto, devemos conversar sobre o tempo. Na minha terra, também dizemos que quando você não tem nada pra falar, você fala sobre o tempo. Não é o mesmo na Alemanha, por exemplo, onde isso é, provavelmente, o assunto mais importante - pensem, quando se mora num lugar onde o clima é horrível, falar sobre se ele vai melhorar ou não, pode ser something. Aqui em Lisboa o tempo só é assunto no inverno, para reclamar. No verão reclama-se que está quente demais - mas aí todo mundo vai à praia e fica tudo bem.

O fa(c)to é que, para mim, o calor está assustador nesta Krida Lisboa (entre 30º e 35ºC) e eu não tenho vontade de fazer absolutamente nada. Ontem fui à praia. Hoje queria ir também mas esse era o meu cleaning weekend e sei que se não fizesse isso hoje, never more, baby.

Claro, precisaria também estudar. Tenho somente mais quatro semanas de aula, dentro das quais faço provas finais e, então, férias. Mas o calor é tanto, que derreteu meu cérebro e serei incapaz de pensar nos mais antigos documentos em português muito menos em área de Wernicke (a propósito, o calor deve ter afe(c)tado a minha área de Broca, porque não consigo produzir nada...)

Você deve estar pensando: "Como assim uma brasileira está morrendo de calor em Lisboa?" Pois. Acredite. O calor aqui é muitíssssssssssssimo diferente do que faz em Belo Horizonte. (Ou mesmo na Bahia.) Qualquer pico de temperatura lá, chove. Aqui, qualquer pico de temperatura, é prato cheio pra fazer mais calor ainda.

Quando a minha mãe veio me visitar aqui no ano passado, no sufocantemente quente mês de Agosto (mesmo assim, dizeram-me alguns Lisboetas que "eh, pá, isso não é nada! O verão de 2008 nem foi tão quente assim!") ela ouviu da boca de uma senhora, quando passeávamos pelo lindíssimo Castelo de São Jorge: "esse calor é igual a calor de torradeira. Vai esquentando de dentro pra fora." A sorte do pão quando está na torradeira é que ele pode pular pra fora e esfriar. Aqui, pra arrefecer, só se passar o dia todo na água mesmo.

3 comentários:

  1. Falando em derreter, depois de ver o CaFoFo citado aqui, vc me fez derreter feito uma maria mole em chamas! kkk (só fazendo tipo). Mas adorei!

    Na minha cabeça o ócio tb anda evidente, mas nao aquela falta de pensar (quem me dera), e nem o calor (em Viena nao faz a temperatura daí). E concordo quando diz que o calor daqui é diferente, é seco, dói, sei lá. Pra vc ter idéia Quel, semana passada fiquei na piscina só de manha para aproveitar e tive que saír, pq comecei a passar mal, afe!

    Tá treinando no blog tb o portuguesitio de Portugal?

    Linda essa foto!

    ResponderExcluir
  2. Raquel, eu nunca senti calor húmido. Só conheço este seco aqui da Europa, ou melhor do sul da Europa, quase Norte de África!!!
    O calor em Lisboa pode ser mesmo muito sufocante, mas como estou habituada até gosto. Mas um dia gostava de experimentar o calor tropical para ver se é assim tão diferente!
    O problema aqui agora é que a água do mar ainda está muito fria para banhos de mar.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Ei raque, quando tem férias mesmo?
    Estou no seu roteiro??
    Beijocas mil e saudades
    te espero

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.