quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Porco fast-food



Aproveitando o ritimo mobilidade-estudantil-em-país-estrangeiro e o ritimo pagação de micos, deixo vocês com a última vinda lá de Berlim; uma homenagem ao meu querido - e agora saudoso e distante - amigo Well.

Mas antes, para contextualizar: se tem alguém mais fresco para comida nessa face da Terra, esse alguém é o Wellington. Come de nada. Não come preda, não come lixo, não come merda, não come nem a mulher dos outros. E aquilo que ele não come nem pintado de ouro é porco. E lá foi ele pra Alemanha.

Os primeiros dias num país onde você é incapaz de falar a língua (e pior, onde você tenta falar a língua porque quer aprender) deveriam ser proibidos. Porque a única coisa que você é capaz de fazer é pagar mico. UM ATRÁS DO OUTRO. e de novo. E SEMPRE.

Os micos que eu paguei em Aachen eram uma combinação de erros linguísticos com erros de conduta. Tipo: No meu primeiro dia de aula, acabada de descer do carro, estou eu parada em frente à porta de entrada da escola, uma porta de vidro, esperando a tal da porta abrir. Nada acontecia. E não é que de repente me aparece alguém que, zupft, aperta um botão na parede ao lado para que a porta abrisse? Fiquei roxa. E para não ficar por isso mesmo, no segundo seguinte, ao pegar o elevador, a palerma que nunca tinha visto um elevador em que a entrada é de uma lado e a saída é do outro, fica paradinha na porta bloqueando a saída, de quem? de quem? Da mesma pessoa que abriu a porta lá embaixo pra mim. Fala sério.

No quesito erro linguístico agora não me lembro de muitos (foram tantos que se tornaram habituais e eu acabei me esquecendo) mas lembro do primeiro e catastrofal, logo nos primeiros minutos, dentro da casa do meu tio. Minha mãe tinha mandado presentes para toda a família e eu, querendo mostrar as minhas já adquiridas capacidades germanísticas, ao chamar a mãe da Uschi, quis ser educada e chamá-la de senhora Houben. Senhora em alemão é Frau, senhor é Herr e senhorita (que nem se usa mais) é Fraulein, e isso eu ja sabia. Ah, sabia... Lá vai eu feliz e saltitante para a cozinha com o presente na mão, me dirigir à Sra. Houben - que estava de costas - e digo toda cheia de orgulho: "Herr Houben!" Todos se entreolharam assustados, meu tio logo sorriu e disse algo que os fez novamente sorrir e ela, então, veio em minha direção agradecendo o presente. Depois meu tio me explica que Herr, afinal, era senhor e que eu tinha chamado o marido dela que havia morrido já há alguns anos...

Outra que ficou para sempre foi a criação de uma palavra. Pelo fato de eu ter ouvido as palavras "wunderbar" e "wunderschön" (que significam maravilhoso e espetacular/ótimo, respectivamente) eu acreditei piamente que "wunder" era um prefixo. Como todo bom brasileiro que adora elogiar usando o superlativo, num jantar rotineiro, quando em geral as pessoas dizem "lecker" para aquilo que é gostoso, a Raquelzinha aqui solta a pérola: "wunderlecker".

Mas mico dos outros é sempre mais legal, não é? Portanto, como anunciado no começo deste post, apresento-vos o mico do ano de 2009, direto da capital do cinema europeu, protagonizado pelo nosso brasileiro-português-árabe, Herr Wellington Almeida. [cópia fiel do meu scrapbook no orkut com tradução livre assinada por mim]:

Hoje eu perguntei na padaria se o croissant que ela dizia que era de "fleisch (carne)" se era "schnell (rápido)" ahahahahaha. Eu queria dizer "Schwein (porco)". To rindo até agora.

_ aber...das ist nicht schnell, genau?
_ ...bitte?
_ das ist nicht SCHNELL
_ schnell?!

3 comentários:

  1. ei, eu comentei aqui porque nao aparece???

    ResponderExcluir
  2. TÔ RACHANDO AQUI ATÉ AGORA!!!
    KKKKKKKKK
    MAS QUERO MAIS KING KONG'S DO WELL!!!
    :D

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!
    Muito bom, muito bom!!!!!!!!!! Começar a segunda-feira rindo é muito bom!!!
    Quero mais micos!!!!!
    Beeeeeeeeeeijos!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.