sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Criança

Eu andava meio sem inspiração para postar desde Julho, pois em pensar que minha avó não leria o que aqui escrevo me deixa muito triste. Mas nesta semana ela me apareceu num lindo sonho, muito real e muito reconfortante.

- "Vó, como é?"
e ela respondeu: "Minha filha, é como dormir um sono profundamente calmo". 

E confortada pela forma poética como ela falou comigo no sonho, resolvi publicar um dos poemas que ela nunca leu, pois eu estava esperando chegar ao Brasil para lhe mostrar os últimos que eu havia escrito. Se há uma uma forma de ler em voz alta para ela - e acho que o blog de certa forma faz isso - então é isso o que quero fazer.



Criança

Ela espera
balançando os pezinhos,
a menina.
Cansou.
Não veio.
Olha para o lado, nervosa.
Morde o lábio. Lembra.
Tenta se concentrar no barulho
dos pés que vão
pra lá e pra cá,
sem cessar…

Raquel Mendonça

2 comentários:

  1. A világ szépsége passzív szemlélőként és aktív alkotóként de nagyon jó volt e daí talvezzz num

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.